top of page
  • Foto do escritorMarketing Intelliway

Uma visão holística de Redes, Conectividade e Segurança.

No mundo atual, a inovação digital e a conectividade são fundamentais para o sucesso nos negócios. De fato, explorar a importância da conectividade no mundo moderno é o que vai diferenciar as empresas no mercado.


Trabalhar com inovação digital é aplicar de forma contínua a tecnologia para aprimorar processos. Além disso, deixar a experiência do cliente mais positiva e desenvolver novos produtos e serviços.


Nesse sentido, a conectividade desempenha um papel central na inovação digital, permeando nossa vida pessoal, social e profissional. Desde a evolução da internet, da discagem à chegada do 5G, a conectividade tem sido uma força motriz nas mudanças tecnológicas.


A Web 2.0, dispositivos móveis inteligentes e internet de alta velocidade marcaram as ondas iniciais. Agora, a Web 3.0, com Internet das Coisas (IoT), big data, inteligência artificial, chatbots, metaverso e muito mais, estão remodelando nossa realidade.


Neste artigo você vai entender a importância da conectividade na inovação digital e como as mudanças tecnológicas estão transformando nossas vidas e os negócios.

A inovação digital é uma jornada necessária para empresas de todos os tamanhos e setores, uma vez que aquelas que não acompanham a evolução tecnológica inevitavelmente ficam para trás.


Rede externa e interna: qual é a diferença?


Quando falamos em conectividade e tecnologia, estamos falando de aparelhos que se comunicam através de redes.


Assim, existem redes externas e internas que precisam ser instaladas para que essa conexão aconteça e seja o mais eficaz possível.


Em uma empresa, em uma residência, e em qualquer local que utilize sistemas e aparelhos conectados à internet.


De maneira geral, a rede externa é aquela que permite que a internet seja disponibilizada para cada cliente de um provedor. Um provedor de internet, por exemplo, pode ter milhões de clientes e cada um deles representa uma conexão externa que precisa ser feita.


Então, a partir do momento que a rede entra em algum local, temos as redes internas. Elas são necessárias para que a internet seja disponibilizada nos diversos aparelhos que utilizamos no dia a dia: celulares, tablets, computadores, televisores, videogames, entre outros.


Redes Internas: Fundamentos e Componentes


As redes internas possibilitam a conexão com a internet em aparelhos. E para isso, existem diferentes opções para escolher.


Switches


Os chamados Switches desempenham um papel vital nas redes comerciais, atuando como controladores que conectam dispositivos, como computadores, impressoras e servidores. Eles permitem a comunicação eficaz entre esses dispositivos, criando uma rede de recursos compartilhados.


Há duas opções: switches gerenciados localmente, ideais para controle rígido da rede. E switches gerenciados na nuvem, simplificando a gestão de redes com atualizações automáticas.


Roteadores


Roteadores conectam várias redes e dispositivos à Internet, permitindo que compartilhem uma única conexão. Eles agem como distribuidores, escolhendo as melhores rotas para os dados viajarem.


Além de conectar sua empresa ao mundo, protegem contra ameaças e priorizam o tráfego de acordo com suas configurações. Roteadores com recursos adicionais, como firewall, VPN e comunicações IP, podem tornar a rede ainda mais segura e eficiente.


Access Points


Access points oferecem conectividade sem fio, permitindo que dispositivos se conectem à rede sem o uso de cabos. Eles ampliam a largura de banda e proporcionam flexibilidade para funcionários móveis.


Além de estender o alcance do Wi-Fi, access points fornecem dados sobre dispositivos de rede e segurança proativa.


Rede Sem Fio


Na criação de redes sem fio, você tem três opções de implantação: centralizada, convergente e na nuvem.


A implantação centralizada é comum em locais próximos, enquanto a convergente oferece consistência entre conexões com e sem fio em locais menores. Já a implantação na nuvem utiliza a gestão na nuvem para dispositivos locais. Cada opção tem suas vantagens, dependendo das necessidades da sua empresa.


Esses componentes essenciais de rede desempenham papéis fundamentais na construção de uma infraestrutura de rede sólida e segura. Escolher as opções certas de switches, roteadores e access points pode otimizar a conectividade da sua rede e melhorar a produtividade e eficiência dos negócios.


Redes Externas: A Interconexão Global


Diferente das redes internas, as redes externas são muito maiores e envolvem diferentes tipos de agentes.


Contudo, também existem opções variadas para você escolher. Na hora de planejar uma infraestrutura de redes é preciso considerar cada uma e tomar a decisão final depois.


Local Area Network (LAN - Redes Locais)


Dentro de uma organização, as redes locais (LAN) são as mais utilizadas. O que caracteriza uma LAN são equipamentos e conexões que operam dentro de uma única instalação. Seu principal objetivo é conexão à rede externa e distribuição de informações internamente.


Metropolitan Area Network (MAN - Redes metropolitanas)


As redes metropolitanas (MAN) abrangem áreas maiores, muitas vezes englobando várias LANs em uma cidade.


Para que isso aconteça é necessário uma gestão de infraestrutura mais robusta e equipamentos maiores e mais resistentes. Afinal, as distâncias que os dados percorrem são maiores. Consequentemente, há maior risco de interferência.


Wide Area Network (WAN - Redes remotas)


As redes de área ampla (WAN) são ainda maiores, conectando LANs e MANs. Esse tipo de tecnologia é capaz de cobrir vastas áreas geográficas, como países ou regiões inteiras.

Nesse sentido, como a cobertura é ampla, o tráfego de dados é significativo. Assim como nas MAN, existem mais chances de interferências. Por isso, é necessário uma infraestrutura sofisticada.

Projetos de WAN são comuns em empresas de grande porte e multinacionais com várias filiais.


Redes sem fio (Wireless)


Retornando ao nível local, as redes sem fio, ou redes wireless, conectam dispositivos localmente por meio de transmissão de dados via ondas de rádio. Por isso, não há necessidade de cabos físicos.

Através de roteadores, os dados são transmitidos por ondas de rádio e podem ser acessados por cada dispositivo.

Assim, ao planejar uma rede sem fio, é importante considerar possíveis interferências e a estrutura do local de instalação. Questões a serem abordadas incluem a localização do roteador central, a necessidade de amplificadores de sinal e quais dispositivos usarão a rede.


A Importância da Conectividade na Era Digital


A conectividade desempenha um papel fundamental na era digital, impulsionando avanços em diversas áreas. Desde processos de negócios até serviços, cidades inteligentes e economias, a conectividade digital é a espinha dorsal da sociedade contemporânea.


Por isso, pessoas desconectadas correm o risco de exclusão de oportunidades online que melhoram a qualidade de vida. O mesmo acontece com as empresas que não se adaptam às novas tecnologias.


Nesse sentido, estruturar uma boa rede para disponibilizar conectividade para as pessoas é essencial. Afinal, com isso é possível manter a comunicação e também encontrar oportunidades de negócio.


Assim, investir em qualidade de conectividade se relaciona com o crescimento das organizações, pois existe constante processamento, armazenamento e distribuição de enormes volumes de dados.


Em resumo, na era digital, a conectividade é a força vital que impulsiona a inovação, a colaboração e o acesso à informação. Velocidade e latência são critérios decisivos, pois a capacidade de fornecer informações de forma rápida e eficiente é fundamental para o sucesso, e a conectividade desempenha um papel central nesse processo.


A conectividade desempenha um papel vital em todos os aspectos da vida moderna. Desde o fato do mundo estar cada vez mais interconectado de dispositivos, sistemas e pessoas, até a revolução nas comunicações e no comércio, a rede é o elo essencial.


Da mesma forma, à medida que a segurança cibernética se torna uma preocupação crítica, é preciso conhecer as ameaças e as estratégias de defesa que protegem nossas redes contra ataques maliciosos.


Além disso, conectar os pontos e gerir todas as variáveis dentro deste vasto campo de conhecimento é uma tarefa desafiadora, mas fundamental.


Portanto, este artigo vai abordar a evolução dos tipos de redes, além de pontos como segurança e gerenciamento delas.


Conectando os Pontos: Explorando a Segurança, Gerenciamento e Tipos de Redes


Conexões de rede são diversas, e podem ser caracterizadas pelo tamanho e também o objetivo final de seu uso.


Quando pensamos no tamanho de uma rede podemos considerar a área geográfica que esta ocupa. Também é possível mensurar pelo número de computadores conectados a esta determinada rede.


Uma rede pode ser pequena e manter apenas alguns dispositivos conectados, como também pode ser muito grande e reunir milhões de dispositivos em todo o mundo.


Tipos de Conexões de Rede


A evolução das conexões à internet é marcada por uma grande mudança desde a conexão discada até a fibra óptica. Dessa forma, podemos dizer que é uma revolução tecnológica que moldou como as pessoas trabalham e se comunicam. Hoje é impossível pensar o mundo e suas conexões sem uma rede de internet disponível.


Conexão discada


Os primórdios da internet eram caracterizados pela conexão discada, que usava linhas telefônicas para acessar a web. Embora tenha sido um grande avanço para a época, o alto custo e a velocidade de conexão limitada de 56 Kbps tornavam o uso da internet caro e frustrante.


Conexão xDSL


A conexão xDSL (Digital Subscriber Line) foi uma evolução. Nesse caso, a linha telefônica era usada para acesso à internet, permitindo chamadas telefônicas e navegação online simultaneamente. No entanto, a velocidade de upload mais lenta era uma desvantagem.


Banda larga, Internet via rádio e via satélite


A internet banda larga marcou uma virada significativa no universo das conexões de rede. Afinal, esta opção oferecia maior velocidade e estabilidade, sem depender de linhas telefônicas. Isso incluiu tecnologias como internet via rádio, que usa ondas de rádio para transmitir dados, e a internet via satélite, que oferece ampla cobertura global.


Fibra óptica


A inovação mais recente nessa área é a fibra óptica. Esta opção de conexão de rede permite velocidades ultra rápidas. Isso é possível pois feixes de vidro reflexivo são usados. Além disso, a fibra óptica transmite dados na velocidade da luz, com alta estabilidade. Para isso ela conecta diretamente o data center à casa dos usuários, minimizando perdas de dados.


A forma como as pessoas se relacionam com o mundo digital mudou e continua mudando todos os dias. Assim, o acesso rápido e confiável à internet não é mais um luxo, mas uma necessidade na sociedade moderna.


E para que isso aconteça de forma segura é preciso entender como proteger dados e dispositivos.


Segurança da Rede: Protegendo Dados e Dispositivos


A segurança da informação é uma preocupação crescente no mundo empresarial, principalmente com o aumento das ameaças cibernéticas. Nesse sentido, a cibersegurança se concentra em proteger redes e dados contra ataques. Dessa forma, tornando essencial que as empresas adotem medidas adequadas para garantir a proteção de seus sistemas.


O termo cibersegurança engloba um conjunto de medidas que visam resguardar as redes, dispositivos e dados de uma organização contra ameaças cibernéticas e invasões. Assim, com o avanço e desenvolvimento da tecnologia e da internet a cibersegurança se tornou crucial para empresas de todos os tamanhos.


Em especial as pequenas empresas, é comum que tenham problemas com captação de recursos e conhecimento técnico para proteger suas redes e dados contra ataques. Portanto, se tornam alvos fáceis para hackers.


Falta de segurança cibernética


A falta de segurança cibernética pode resultar em roubo de informações, perda de dados, interrupções comerciais e danos à reputação, com consequências financeiras substanciais.


Portanto, é imperativo que as empresas adotem medidas de cibersegurança, como firewalls, antivírus e detecção de invasões, para proteger suas redes contra ameaças externas.


Medidas físicas e virtuais, como senhas robustas, backups regulares e treinamento de conscientização, ajudam a proteger os dados da empresa.


Medidas de Segurança Física e Virtual


Diversas ameaças cibernéticas preocupam as empresas, incluindo malware, phishing, ransomware, ataques de negação de serviço, engenharia social, acesso não autorizado e vazamento de dados.


Assim, para resguardar sua empresa contra ameaças físicas e virtuais, medidas apropriadas devem ser implementadas.


Segurança Física


Controle de acesso:

Portões, fechaduras eletrônicas e câmeras asseguram que apenas pessoas autorizadas acessem áreas restritas.


Monitoramento:

Supervisão constante das instalações identifica atividades suspeitas.


Backup:

Práticas de cópias de segurança fora do local protegem contra danos físicos.


Eliminação segura de documentos:

Procedimentos adequados garantem a confidencialidade dos dados.


Segurança Virtual


Firewall:

Um firewall é um dispositivo de segurança da rede que monitora o tráfego de rede de entrada e saída e decide permitir ou bloquear tráfegos específicos de acordo com um conjunto definido de regras de segurança.


Senhas fortes:

Senhas atualizadas e robustas garantem a segurança dos dispositivos.


Atualizações de software:

Manter os softwares utilizados pela empresa atualizados previne vulnerabilidades.


Treinamento de segurança:

Funcionários treinados identificam ameaças e adotam práticas seguras, além de entender a importância das ações de cibersegurança.


Criptografia de dados:

Protege informações contra acesso não autorizado.


Autenticação multifatorial:

Garante acesso apenas a usuários autorizados.


Monitoramento constante:

Identifica possíveis ameaças e anomalias na rede.


A implementação de medidas de segurança física e virtual reduz o risco de perda de dados e interrupções nos negócios. Dessa forma, proporcionando proteção contra ameaças internas e externas.


Portanto, é crucial manter-se atualizado com as melhores práticas de segurança e ajustar as medidas de acordo com as evoluções das ameaças cibernéticas e físicas.


Gerenciamento de Redes: Monitoramento e Manutenção


Realizar o gerenciamento de redes é necessário para que exista tranquilidade na operação relacionada com as redes em uma empresa.


Algumas das principais vantagens do gerenciamento de redes é a possibilidade de minimizar interrupções de rede. Para uma grande empresa, por exemplo, ficar sem a rede ativa por uma hora é algo que deve ser evitado ao máximo. Afinal, os prejuízos podem ser muito grandes.


Uma boa gestão de redes também possibilita aumento na produtividade dos departamentos envolvidos como TI. Essa área é muito requisitada em empresas, e quanto mais rápido e eficaz for o trabalho, melhor.


Porém, ainda que seja essencial existem alguns desafios que as empresas enfrentam. O primeiro deles é que o gerenciamento de redes pode ser complexo. Por isso, profissionais qualificados são necessários para este trabalho.


Também é necessário investir nesse tipo de infraestrutura, o que diversas empresas acabam considerando um custo alto.


A conectividade desempenha um papel fundamental


Em um mundo cada vez mais digital, a conectividade desempenha um papel fundamental na forma como vivemos, trabalhamos e nos comunicamos. Exploramos diversos tipos de conexão ao longo da história, desde a discagem lenta até a velocidade da luz da fibra óptica.


No entanto, a evolução da tecnologia de conexão é acompanhada pelo aumento das ameaças cibernéticas, destacando a importância da segurança de rede.


As empresas, independentemente do tamanho, precisam reconhecer a necessidade de proteger suas redes e dados. Especialmente para pequenas empresas, a cibersegurança é crucial, pois são frequentemente alvos fáceis de ataques. A conscientização, treinamento e a implementação de medidas de segurança são passos essenciais.


Por fim, é importante entender que o mundo digital oferece inúmeras oportunidades, mas também traz riscos. Porém, através do entendimento, conscientização e ação, as empresas podem aproveitar ao máximo a conectividade, mantendo-se seguras na era digital em constante evolução.


Conheça seu Inimigo: Técnicas de Invasão de Rede e Estratégias de Defesa


A segurança cibernética é cada vez mais uma preocupação, e por isso é preciso conhecer as técnicas de invasão de rede. E além disso, saber quais são as melhores estratégias de defesa.


Isso porque a vida das pessoas acontece no ambiente virtual, tanto pessoal quanto profissionalmente.


Assim, com o aumento das ameaças cibernéticas, é essencial que empresas e indivíduos compreendam o perfil dos atacantes cibernéticos, suas motivações e as técnicas que utilizam para invadir sistemas.


Neste artigo você vai entender as complexidades das ameaças cibernéticas e as estratégias de defesa que podem ser empregadas.


Introdução às Ameaças Cibernéticas


No cenário atual de segurança cibernética, as ameaças evoluíram significativamente. Os ataques cibernéticos não são mais eventos isolados, mas uma ameaça constante e mutável.


Por isso, a importância de conhecer seu inimigo nunca foi tão evidente. Compreender quem são os atacantes cibernéticos, quais são suas motivações e como operam é fundamental para implementar uma defesa eficaz.


Este tipo de ataque é considerado um crime, e são pessoas ou até mesmo grupos que buscam danificar ou destruir redes de sistemas. Dessa forma, os criminosos conseguem roubar ou expor dados sigilosos para uso indevido.


Perfil dos Atacantes Cibernéticos


Os atacantes cibernéticos vêm em diversas categorias, cada uma com suas características distintas.


Hackers


Os hackers, por exemplo, são atacantes cibernéticos frequentemente motivados pelo desejo de explorar vulnerabilidades e ganhar acesso a sistemas para fins diversos. Entre eles roubo de dados ou simplesmente demonstrar suas habilidades.


Crackers


Já os crackers, embora compartilhem habilidades semelhantes às dos hackers, geralmente têm intenções maliciosas. Assim, visam causar danos, interromper sistemas ou obter benefícios ilegais.


Insiders


Os insiders maliciosos, por outro lado, são indivíduos que têm acesso legítimo a sistemas e redes, mas usam essa posição para atividades cibernéticas criminosas. Eles podem agir motivados por razões pessoais, descontentamento com a organização ou ganho financeiro.


Além disso, grupos organizados, muitas vezes associados ao cibercrime ou ao ciberativismo, podem conduzir ataques em larga escala com diversas motivações, desde lucro até causas políticas ou ideológicas.


Nesse sentido, entender a diversidade de atacantes e as motivações por trás dos ataques é crucial para desenvolver estratégias de defesa cibernética eficazes.


Técnicas de Invasão de Rede


Assim como existem diversas motivações para os crimes, as técnicas usadas também variam. Por isso, a invasão de rede pode acontecer explorando vulnerabilidades de software, a fragilidade de senhas e até mesmo a manipulação de informações.


Entre as táticas mais comuns, estão os ataques de força bruta e dicionário, nos quais os invasores tentam acessar sistemas testando diversas combinações de senhas.


Além disso, o uso de varreduras em redes (Scans) com técnicas como o Spoofing pode permitir aos invasores encontrar sistemas vulneráveis para futuras explorações.


Entenda cada uma das técnicas de invasão de rede abaixo.


Explorar a Vulnerabilidades de Software


Esse ataque acontece quando um criminoso faz uma tentativa ou é capaz de invadir um sistema, acessando informações confidenciais. Além disso, também acontecem ataques contra outros computadores, e fazer com que um serviço fique fora do ar.


Utilizar ataques de Força Bruta e Dicionário


Essa técnica de invasão de rede ocorre quando o usuário e senha são adivinhados, por tentativa e erro. Com o acesso ao sistema, é possível realizar ações maliciosas.


Esse tipo de ataque acontece em empresas, nas redes sociais, em e-mails, sistemas em geral. Assim, é indispensável que suas senhas sejam fortes para evitar ao máximo esse tipo de situação.


Realizar varredura em redes (Scan)


Por outro lado, a técnica de invasão de rede chamada varredura de redes faz uma busca minuciosa nas redes disponíveis. O objetivo é encontrar computadores ativos nas redes, e coletar informações. Essas informações incluem os serviços e programas instalados na máquina.


Depois dessa varredura, também conhecida como Scan, os criminosos avaliam os resultados. Com esse tipo de ataque eles conseguem identificar possíveis vulnerabilidades nos serviços e programas detectados.


Spoofing


Finalmente, mas não menos importante, está a técnica de invasão chamada spoofing, ou falsificação de e-mail. Esse tipo de ataque é muito comum, e acontece quando o cabeçalho de um e-mail é alterado.


Assim, quem recebe o e-mail acredita que esteja recebendo um comunicado oficial de uma empresa, de alguém conhecido, ou até mesmo do governo.


Contudo, a mensagem é falsa e é utilizada para infectar aparelhos como computadores, celulares e tablets com links maliciosos, envio de spam e ataques phishing.


Estratégias de Defesa Cibernética


Agora que você já entendeu que existem inúmeras técnicas de invasão de rede, é essencial entender como se proteger.


Por isso, abaixo você vai aprender sobre as melhores estratégias de defesa desse tipo de ataque.


Políticas de Segurança: A base da defesa


Para proteger eficazmente uma rede contra ameaças cibernéticas, é necessário um conjunto de estratégias sólidas. Políticas de segurança bem definidas formam a base da defesa, estabelecendo diretrizes para o acesso e uso dos recursos da rede.


Se a sua empresa possui um site na internet, e este não tem políticas de segurança, é preciso criá-las.


As políticas de segurança são um conjunto de diretrizes, regras e procedimentos definidos por uma organização. O objetivo é proteger seus sistemas de informação, redes, ativos digitais e dados contra ameaças cibernéticas e riscos de segurança.


Essas políticas estabelecem um conjunto claro de princípios e práticas que devem ser seguidos por funcionários, contratados e, em alguns casos, até mesmo por parceiros de negócios.


E elas podem abranger uma ampla variedade de áreas. Incluindo o uso de senhas seguras, restrições de acesso, criptografia de dados, monitoramento de atividades de rede, práticas de segurança física, entre outras.


Gerenciamento de Identidade e Acesso


O gerenciamento de identidade e acesso garante que apenas as pessoas autorizadas tenham permissão para acessar sistemas sensíveis.


Nesse ponto, é preciso que a empresa tenha uma cultura forte quanto a segurança destes acessos. Criar a consciência entre colaboradores que cada pessoa é responsável pelo seu login e senha individual é muito importante. Da mesma forma, a criação de senhas fortes é uma ótima estratégia de defesa.


Outras estratégias importantes


O monitoramento contínuo de redes e sistemas ajuda a identificar atividades suspeitas, enquanto a proteção de dados sensíveis é crucial para manter informações confidenciais fora do alcance dos invasores. Finalmente, a resposta a incidentes é uma estratégia fundamental da defesa cibernética, definindo como agir quando um ataque ocorre.


Em Direção a um Mundo Digital Mais Seguro


À medida que as ameaças cibernéticas continuam a evoluir, é essencial que os investimentos em tecnologias de defesa também avancem. A segurança cibernética não é uma preocupação que desaparecerá, mas sim uma que requer atenção constante.


Por isso, investir em tecnologias e práticas de segurança robustas é o caminho para um mundo digital mais seguro. Onde mesmo com as mais complexas técnicas de invasão de rede não funcionarão, pois existem também estratégias de defesa.


Nesse sentido, empresas e indivíduos podem aproveitar os benefícios da tecnologia sem comprometer a segurança.


Concluindo, a segurança cibernética é uma jornada contínua, e a compreensão das ameaças e das melhores práticas de defesa são indispensáveis para proteger nossos ativos digitais.


EDR: Uma Ferramenta Vital para Proteção de Dados e Segurança de Rede


Proteger dados e garantir segurança de rede são assuntos indispensáveis para as empresas hoje em dia. E o EDR (Detecção e Resposta de Endpoint, em português) é uma opção para melhorar a situação da proteção e segurança na sua empresa.


O EDR é responsável por monitorar os dispositivos das pessoas e entender se existem ameaças cibernéticas ameaçando os dados e a rede em que o dispositivo está conectado.


Neste artigo você vai entender em detalhes sobre essa tecnologia, e também as tendências para o futuro. Se você nunca ouviu falar de EDR, já está na hora de entender melhor sobre esse assunto e aplicar nos seus negócios.


O que é EDR e qual a sua importância?


EDR é uma solução para proteção de dados e segurança de rede. Essa tecnologia utiliza análises em tempo real e automações com Inteligência Artificial (IA) para trabalhar.


O objetivo do sistema é encontrar ameaças cibernéticas que não são detectadas por softwares de antivírus. Além disso, a tecnologia é mais avançada que outras opções de segurança de dispositivos, sendo uma boa opção para as empresas.


Com utilização de EDR, é possível melhorar a proteção de dados dos clientes da sua empresa, além de ter uma segurança de rede mais avançada. Cada vez mais, por causa do avanço das ameaças existentes, ter uma solução de EDR nas empresas é essencial em estratégias de cibersegurança.


Como o EDR funciona?


O EDR coleta dados de endpoints de uma rede constantemente. Estes dispositivos incluem computadores, notebooks, servidores, celulares, dispositivos conectados a Internet das Coisas, entre outros.


A partir da coleta, o sistema é capaz de analisar os dados em tempo real. Assim, é possível identificar possíveis ameaças ou comportamentos suspeitos. Então, com as ciber ameaças identificadas há resposta automática para prevenir ou minimizar os danos que estas ameaças causam.


Portanto, a ideia de que o EDR é apenas uma ferramenta para detectar os dispositivos em uma rede está incorreta. Ele faz isso, é claro, mas também atua na proteção e ação contra ameaças digitais constantemente e em tempo real.


Características de um EDR


Existem diferenças entre ferramentas de EDR, mas algumas características são comuns a todos os fabricantes.


Coleta de dados


Como você já entendeu, qualquer tecnologia de EDR fará a captação de dados contínua. Os dados podem ser de processos, performance, mudanças de configurações, conexões de rede, arquivos, downloads, comportamentos dos dispositivos conectados, entre outros.


Os dados são normalmente armazenados na nuvem, em uma base de dados central para melhor controle destes.


Para que a coleta de dados aconteça, a maioria das ferramentas de EDR utiliza uma ferramenta de coleta instalada em cada dispositivo.


Detecção de ameaças


Para realizar a detecção de ameaças em tempo real o sistema utiliza tecnologia avançada de análise e algoritmos de aprendizado de máquina.


Nesse sentido, as ameaças se enquadram em duas categorias: indicadores de comprometimento (IOCs) e indicadores de ataque (IOAs). Os indicadores de comprometimento são ações ou eventos com potencial de ataque ou vazamento de dados. Por outro lado, os indicadores de ataque são de fato associados a ameaças e criminosos cibernéticos.


Além da ferramenta de EDR, é possível que uma empresa integre o EDR com outras soluções relacionadas à segurança de rede. Assim, todas as camadas da estrutura de TI estarão protegidas e vigiadas contra ameaças.


Resposta a incidentes


Quando uma ferramenta de EDR está sendo utilizada, uma das principais características é que a resposta a incidentes é automática.


Isso é possível porque o sistema tem regras pré-definidas pela equipe de segurança. Além disso, como há utilização de algoritmos de machine learning, conforme o tempo passa o próprio EDR aprende como lidar com as situações automaticamente.


Assim, quando um incidente acontece, alertas de segurança são enviados para que as corretas ações sejam tomadas. Uma outra vantagem do sistema é conseguir fazer uma triagem dos alertas conforme o nível do incidente.


Sempre que necessário, os dispositivos afetados serão desconectados da rede para que a proteção dos outros aparelhos seja preservada.


Estas ações de resposta, investigação e remediação de incidentes pode ser feita através de integrações com outros sistemas. Dessa forma a proteção de dados e segurança de rede aumentam significativamente.


Vantagens do EDR


Utilizar um EDR é essencial para melhorar a qualidade da proteção de dados da sua empresa. Da mesma forma, aumentar a segurança de rede para manter dispositivos longe de ameaças cibernéticas.


Dessa forma, existem algumas vantagens importantes de compartilhar com você que tem interesse em conhecer mais sobre a tecnologia.


Redução do tempo de resposta a incidentes


Com uma ferramenta de EDR instalada na sua rede, automaticamente você terá um tempo reduzido na resposta de incidentes.


Esse é um dos grandes objetivos da tecnologia, afinal isso melhora o trabalho do time de tecnologia e evita problemas de maior porte para a empresa.


Portanto, assim que um alerta de incidente ou ameaça é enviado pelo EDR, ações automáticas começam a acontecer. Além disso, a equipe responsável pela segurança de rede é acionada e o tempo de solução do problema reduz.


Melhora da visibilidade da segurança


Quando as soluções de segurança de rede são básicas, é comum que os dados e análises sejam armazenados e feitos em diferentes locais.


De modo contrário, quando um EDR é utilizado a coleta de dados, análises e relatórios são enviados para um único sistema.


Consequentemente, o time de segurança tem uma visão completa da rede. E com isso é possível tomar melhores decisões para os objetivos e metas de segurança da empresa.


Redução de custos


Quando vantagens como produtividade e redução de tempo existem em um sistema, a redução de custos é uma consequência.


Além disso, ao utilizar um EDR, a empresa economiza em diferentes sistemas e plataformas que seriam necessárias para garantir a segurança de rede e proteção de dados.


A escolha de uma ferramenta única para desempenhar todos os papeis dentro da proteção de dados e segurança de rede é essencial. Assim, a escolha pelo EDR é uma decisão de negócio muito vantajosa tanto nos resultados alcançados quanto no valor investido.


O Futuro da EDR: Tendências e Evolução


Cada vez mais o EDR vem sendo utilizado pelas empresas como uma ferramenta de defesa cibernética. Quando em operação, a ferramenta registra as atividades suspeitas e age para que a ação seja interrompida.


Contudo, existem tecnologias ainda mais avançadas na área de proteção de dados e segurança de rede.


Os chamados XDR são uma continuação do conceito de EDR. Nessa ferramenta inovadora é possível criar uma cadeia completa de proteção. Assim, o XDR auxilia no controle das ameaças em diversos pontos da cadeia.


A tendência, portanto, é que cada vez mais os sistemas mais sofisticados sejam utilizados no mercado.


Isso não inviabiliza a utilização do EDR normalmente, que é uma ferramenta completa e útil para as empresas. Porém, é essencial estar sempre atento às novidades da área, para que a segurança esteja sempre em primeiro lugar.


Entre em contato para sanar suas dúvidas e compartilhar as suas necessidades com a gente:


11 visualizações
bottom of page