top of page
  • Foto do escritorMarketing Intelliway

Rede Externa e Interna: Compreendendo os Fundamentos da Conectividade

No mundo atual, a inovação digital e a conectividade são fundamentais para o sucesso nos negócios. De fato, explorar a importância da conectividade no mundo moderno é o que vai diferenciar as empresas no mercado.


Trabalhar com inovação digital é aplicar de forma contínua a tecnologia para aprimorar processos. Além disso, deixar a experiência do cliente mais positiva e desenvolver novos produtos e serviços.


Nesse sentido, a conectividade desempenha um papel central na inovação digital, permeando nossa vida pessoal, social e profissional. Desde a evolução da internet, da discagem à chegada do 5G, a conectividade tem sido uma força motriz nas mudanças tecnológicas.


A Web 2.0, dispositivos móveis inteligentes e internet de alta velocidade marcaram as ondas iniciais. Agora, a Web 3.0, com Internet das Coisas (IoT), big data, inteligência artificial, chatbots, metaverso e muito mais, estão remodelando nossa realidade.


Neste artigo você vai entender a importância da conectividade na inovação digital e como as mudanças tecnológicas estão transformando nossas vidas e os negócios.

A inovação digital é uma jornada necessária para empresas de todos os tamanhos e setores, uma vez que aquelas que não acompanham a evolução tecnológica inevitavelmente ficam para trás.


Rede externa e interna: qual é a diferença?


Quando falamos em conectividade e tecnologia, estamos falando de aparelhos que se comunicam através de redes.


Assim, existem redes externas e internas que precisam ser instaladas para que essa conexão aconteça e seja o mais eficaz possível.


Em uma empresa, em uma residência, e em qualquer local que utilize sistemas e aparelhos conectados à internet.


De maneira geral, a rede externa é aquela que permite que a internet seja disponibilizada para cada cliente de um provedor. Um provedor de internet, por exemplo, pode ter milhões de clientes e cada um deles representa uma conexão externa que precisa ser feita.


Então, a partir do momento que a rede entra em algum local, temos as redes internas. Elas são necessárias para que a internet seja disponibilizada nos diversos aparelhos que utilizamos no dia a dia: celulares, tablets, computadores, televisores, videogames, entre outros.


Redes Internas: Fundamentos e Componentes


As redes internas possibilitam a conexão com a internet em aparelhos. E para isso, existem diferentes opções para escolher.


Switches


Os chamados Switches desempenham um papel vital nas redes comerciais, atuando como controladores que conectam dispositivos, como computadores, impressoras e servidores. Eles permitem a comunicação eficaz entre esses dispositivos, criando uma rede de recursos compartilhados.


Há duas opções: switches gerenciados localmente, ideais para controle rígido da rede. E switches gerenciados na nuvem, simplificando a gestão de redes com atualizações automáticas.


Roteadores


Roteadores conectam várias redes e dispositivos à Internet, permitindo que compartilhem uma única conexão. Eles agem como distribuidores, escolhendo as melhores rotas para os dados viajarem.


Além de conectar sua empresa ao mundo, protegem contra ameaças e priorizam o tráfego de acordo com suas configurações. Roteadores com recursos adicionais, como firewall, VPN e comunicações IP, podem tornar a rede ainda mais segura e eficiente.


Access Points


Access points oferecem conectividade sem fio, permitindo que dispositivos se conectem à rede sem o uso de cabos. Eles ampliam a largura de banda e proporcionam flexibilidade para funcionários móveis.


Além de estender o alcance do Wi-Fi, access points fornecem dados sobre dispositivos de rede e segurança proativa.


Rede Sem Fio


Na criação de redes sem fio, você tem três opções de implantação: centralizada, convergente e na nuvem.


A implantação centralizada é comum em locais próximos, enquanto a convergente oferece consistência entre conexões com e sem fio em locais menores. Já a implantação na nuvem utiliza a gestão na nuvem para dispositivos locais. Cada opção tem suas vantagens, dependendo das necessidades da sua empresa.


Esses componentes essenciais de rede desempenham papéis fundamentais na construção de uma infraestrutura de rede sólida e segura. Escolher as opções certas de switches, roteadores e access points pode otimizar a conectividade da sua rede e melhorar a produtividade e eficiência dos negócios.


Redes Externas: A Interconexão Global


Diferente das redes internas, as redes externas são muito maiores e envolvem diferentes tipos de agentes.


Contudo, também existem opções variadas para você escolher. Na hora de planejar uma infraestrutura de redes é preciso considerar cada uma e tomar a decisão final depois.


Local Area Network (LAN - Redes Locais)


Dentro de uma organização, as redes locais (LAN) são as mais utilizadas. O que caracteriza uma LAN são equipamentos e conexões que operam dentro de uma única instalação. Seu principal objetivo é conexão à rede externa e distribuição de informações internamente.


Metropolitan Area Network (MAN - Redes metropolitanas)


As redes metropolitanas (MAN) abrangem áreas maiores, muitas vezes englobando várias LANs em uma cidade.


Para que isso aconteça é necessário uma gestão de infraestrutura mais robusta e equipamentos maiores e mais resistentes. Afinal, as distâncias que os dados percorrem são maiores. Consequentemente, há maior risco de interferência.


Wide Area Network (WAN - Redes remotas)


As redes de área ampla (WAN) são ainda maiores, conectando LANs e MANs. Esse tipo de tecnologia é capaz de cobrir vastas áreas geográficas, como países ou regiões inteiras.

Nesse sentido, como a cobertura é ampla, o tráfego de dados é significativo. Assim como nas MAN, existem mais chances de interferências. Por isso, é necessário uma infraestrutura sofisticada.

Projetos de WAN são comuns em empresas de grande porte e multinacionais com várias filiais.


Redes sem fio (Wireless)


Retornando ao nível local, as redes sem fio, ou redes wireless, conectam dispositivos localmente por meio de transmissão de dados via ondas de rádio. Por isso, não há necessidade de cabos físicos.

Através de roteadores, os dados são transmitidos por ondas de rádio e podem ser acessados por cada dispositivo.

Assim, ao planejar uma rede sem fio, é importante considerar possíveis interferências e a estrutura do local de instalação. Questões a serem abordadas incluem a localização do roteador central, a necessidade de amplificadores de sinal e quais dispositivos usarão a rede.


A Importância da Conectividade na Era Digital


A conectividade desempenha um papel fundamental na era digital, impulsionando avanços em diversas áreas. Desde processos de negócios até serviços, cidades inteligentes e economias, a conectividade digital é a espinha dorsal da sociedade contemporânea.


Por isso, pessoas desconectadas correm o risco de exclusão de oportunidades online que melhoram a qualidade de vida. O mesmo acontece com as empresas que não se adaptam às novas tecnologias.


Nesse sentido, estruturar uma boa rede para disponibilizar conectividade para as pessoas é essencial. Afinal, com isso é possível manter a comunicação e também encontrar oportunidades de negócio.


Assim, investir em qualidade de conectividade se relaciona com o crescimento das organizações, pois existe constante processamento, armazenamento e distribuição de enormes volumes de dados.


Em resumo, na era digital, a conectividade é a força vital que impulsiona a inovação, a colaboração e o acesso à informação. Velocidade e latência são critérios decisivos, pois a capacidade de fornecer informações de forma rápida e eficiente é fundamental para o sucesso, e a conectividade desempenha um papel central nesse processo.


Entre em contato para sanar suas dúvidas e compartilhar as suas necessidades com a gente:


31 visualizações
bottom of page